27 de maio de 2011

Não sei mais como amamentar!!

Quem disse que amamentar é instintivo? Ou que pelo fato de ser meu segundo filho eu já saberia como fazer? Eu mesma pensei que seria tranquilo. Estava toda confiante, dizendo pra mim mesma "eu já fiz isso, não tem segredo!". Ai que engano...

No nascimento do meu primeiro filho não fui "autorizada" a amamentar na maternidade. Eu tenho hepatite C, e os médicos não me deram alternativa, mesmo me informando que as chances de contágio pelo leite materno eram ínfimas. Mas apesar de começar a amamentação sem nenhuma instrução da parte técnica do hospital, amamentei o Miguel sem problemas. Meus bicos não racharam, ele não teve dificuldade para pegar o peito nem nada.

Agora a minha segunda experiência com amamentação foi bem mais difícil. E olha que meu filho nasceu só hà 20 dias... Tive ele numa outra maternidade, no Hospital Santa Joana, e lá tive todo o apoio que não tinha tido na primeira vez. Sobre a hepatite, a pediatra veio até o quarto falar comigo e confirmar se eu amamentaria. Eu respondi que sim, que já havia amamentado o meu primeiro filho e ele não teve nenhum problema.

Devo acrescentar que não simplesmente arrisquei amamentar meus filhos com a possibilidade de contagiá-los com o virus da hepatite C. Durante toda a amamentação do Miguel fui voluntária numa pesquisa da Faculdade de Medicina da USP, no Hospital das Clínicas, que comprovou que esse tipo de contágio não acontece. Forneci dados e amostras de sangue do meu filho para que comprovasse cientificamente esse fato.

Voltando à conversa com a pediatra do hospital, ela só me lembrou que eu só deveria interromper a amamentação no caso dos meus peitos ficassem feridos a ponto de sangrarem. A chance de contaminação nesse caso muda, já que sangue é a via de contaminação da doença. Continuei tranquila, até que a amamentação começou a ser dolorida. E um pouco mais tarde ficou muito doloroso. Tão doloroso que eu ficava muito nervosa na hora do Nicholas pegar o peito, pois eu já sabia que ia doer muito!!

Ele não sugava simplesmente, ele mordia com suas gengivas. Não menospreze as gengivas de um bebê! rs No fim da mamada meu bico saia achatado e muito dolorido. Desde o hospital passei pomada de Lanolina para ajudar na cicatrização, mas a pomada não foi suficiente para evitar que meus bicos ficassem machucados a ponto de eu não poder amamentar. Logo nos primeiros dias percebi que o peito direito estava rachado e parei de dar esse peito. Fui então obrigada a dar a fórmula para ele.

Dar a fórmula nunca foi minha intenção, pelo menos não enquanto eu estivesse de licença maternidade. Mas para a segurança dele não tive opção. Fique com receio de dar a mamadeira. Ele mamava desesperadamente na mamadeira, parecia que ia se afogar, sugava e terminava muito rápido. Eu não continha meu medo e tirava a mamadeira da boca dele antes que ele terminasse, para que ele pudesse parar e respirar um pouco e, se possível, arrotar antes de continuar.

Para complicar minha cabeça toda vez que ele tomava mamadeira começava a pescar, e no fim caia num sono profundo. Era difícil de acordá-lo depois de uma mamadeirada. Mas no meu peito, ele adormacia sim, mas num sono super leve, qualquer movimento o fazia acordar e a voltar a abocanhar meu peito, não tendo fim nunca a amamentação. Isso nos faz cair naquelas ideias que sabemos não serem verdadeiras, mas mesmo assim pensamos nelas: será que meu leite tá pouco? Será que o leite está fraco? Será que ele está me fazendo de chupeta?

Ou o Nicholas está dormindo, ou chorando pelas cólicas, ou querendo mamar, mesmo que tenha acabado de mamar! Segundo especialistas ele deve mamar a cada 2h30 ou 3hs, mas meu filho demonstra vontade de mamar a cada hora! Mal pego ele no colo e ele vira a boquinha pro meu peito e se desespera. O pediatra diz que devo dar a chupeta, algo que queria evitar. Mas mesmo tentando, o rapazinho não pega! Moral da história: estou amamentando sempre que percebo que ele quer mamar...

Lembrando que ele está apenas na terceira semana de vida, ainda pretendo organizar essas mamadas. Mas fui surpreendida com o fato de não saber amamentar!!

3 comentários:

Rêver du Québec disse...

Oi Fe, sei bem como é isso tudo, nas duas vezes foi muito difícil pra mim o início da amamentação. A segunda vez passei pelos mesmos probleminhas que vc relatou, o Enzo acordava muito antes do que os especialistas diziam ser o correto, chegando ao ponto de querer mamar de meia em meia hora, foi feia a coisa amiga, fiquei parecendo um zumbi....rsrs. Mas com o Enzo a mamadeira não resolvia não, tomara que seu Nicholas seja diferente. Quanto a mamadeira, tenho algumas amigas que optaram por não amamentar, os fofinhos cresceram super saudáveis e fortes, nenhum apresentou qualquer problema por não ter recebido leite materno, então amiga, relaxa viu.
Boa sorte nas mamadas! bjks

Pati disse...

Oi Fernanda, as primeiras semanas de amamentação por aqui também foram bem difíceis... Lágrimas nos meus olhos, peitos sangrando... Ela tem uma sucção muito forte e os mamilos ficavam achatados e feridos! Bem, o saldo dessa história é que as coisas foram se ajeitando e hoej ela mama sem problemas e acho que meus mamilos calejaram (rs). Tem uma pomada que me ajudou muito, Lansinoh não resolvia muito aqui. O nome é Dr Newman e aqui só vendem com prescrição. Foi o que salvou!
Agora, sobre espaço entre as mamadas, eu não acho que exista isso com recém-nascidos... No começo ela mamava de hora em hora, no máximo a cada 2h, depois é que foi espaçando. Mas mesmo hoje, se vejo que ela está com fome antes do "horário" dou logo o peito. O que as enfermeiras me aconselharam foi livre demana, principalmente nesse começo tão delicado para mãe e bebê.
E não se preocupe, seu leite não está fraco. Se achar que é pouco leite, pode tentar ordenhar com a bombinha para tentar aumentar a produção...
Se estiver realmente com vontade de amamentar o Nicholas, sugiro ir a um banco de leite aí em SP. ELes dão todo o suporte necessário, tem muitas dicas e conselhos e ajudam as mães a passarem por esse momento inicial, que é lindo, mas cansativo também...
bj e tudo de bom para vocês!

Paola Tavares Silva Wortman disse...

engracado ... parecia que me ouvia falar. tb na segunda gravidez achava que era uma expert em amamentacao, pois o comeco com a mais velha havia sido dificil e tenso, mas ela amamentou ate os 2 anos ja na metade da gravidez da segunda. quando nasceu a segunda, foi dificil. ela nascera com a lingua presa e machuvaca muito. mas ja na segunda semana cortaram a pelinha e as coisas se acalmaram. pensei comigo, agora realmente sou especialista de carteirinha. que nada, na terceira nao so fiquei mal como tive tb infeccoes no seio e fui parar no pronto socorro uma vez pois a febre estava muito alta. mas todas as 3 vezes tudo foi resolvido com tempo, paciencia, amor, muita determinacao e SEM REMEDIOS (muito importante pra mim).
as pomadas ajudam mas o melhor remedio, experiencia x3, e dar uma espremida no seio e passar o leite nos mamilos e deixar secar sem o sutia. se puder andar em casa se blusa de malha (mais folgadinha) e sem sutia e muito bom tb. as minhas mamaval feito famigeradas ... a segunda tinha mamadas mais controladas (por ela, nao por mim) e eram a cada 2-3 horas. as outras me sugavam dia e noite. a mais velha ate os 9 meses mamava a cada 2 horas, 24 hrs por dia. quando chegou aos 9 meses, coo um passe de magica, passou a mamar somente 4 vezes pr dia (manha, almoco, lanche e noite) e ja dormia a noite toda. mas eu nunca reclamei, pelo contrario, eu adoro amamentar. a minha terceira, tem 1 ano e 7 meses e ainda mama e nao sei quando vou tirar o peito ... e quem toma a iniciativa p/ mamada sou eu, ela poderia se cotnentar com 1-3 vezes/dia.
nao se preocupe, se vcs realmente quer amamentar, se esta for sua decisao, nao desista. depois de algumas semanas os obstaculos sao vencidos e ai vem so a parte prazerosa do ato. tenho uma amiga que teve infeccao no seio e teve que operar e durante o pos operatorio nao podia amamentar pelos antibioticos e tirava com a bombinha e jogava fora, so pra nao secar o leite. depois que saiu do hospital voltou a amamentar seu bebe sem problemas.
forca, querida!
tudo de bom e muita saude pra vcs!