15 de agosto de 2011

A gravidez, a amamentação e a dor de dente


O que fazer com dor de dente na gravidez e amamentação? Não façam como eu!

Antes de engravidar do Nicholas fiz um tratamento dentário para renovar as obturações e verificar se haviam novas obturações a serem feitas. Com os dentes em ordem, engravidei. Estava tudo tranquilo quando... não sei dizer se foi parte da obturação que caiu ou se o dente que estava obturado quebrou. Mas como já estava de 8 meses de gestação não quis ir até o dentista para receber um tratamento sem anestesia. Então fui deixando levar...

De vez em quando, dependendo do que eu comia, sentia um incômodo no dente. Nada demais. Até que esse fim de semana, com o Nicholas já com 3 meses (!!) [É eu sei.... mas o tempo voou e não fui resolver isso] peguei uma pizza para comer. Comi com aquela  vontade de quem ta passando fome. E aí veio a dor. Começou incomodando pouco e foi aumentando a intensidade. Até que pedi arrego e fomos procurar um dentista 24hs, num sábado à noite!! 

Pensei que seria uma obturação rápida a ser feita. Retire o restante da obturação que ficou e coloca a nova. Problema resolvido! Mas depois de mais de 4 meses de problema dentário negligenciado não tinha como ser só uma obturaçãozinha.

Depois de um raio-x para confirmar o diagnóstico, a dentista me diz "Vai precisar fazer um 'canalzinho". Ãhn? Canal?!! OMG!! Dói muito?! Quem é que precisa fazer canal hoje em dia? Pessoas que negligenciam seus problemas dentários!!

Ok, mas quero saber quando é que minha dor vai passar? "Não vou poder fazer o canal agora porque corremos o risco da anestesia não pegar, aí você sofrerá demais" Ela então me passou alguns remédios para tratar a infecção do dente antes de fazer o canal. Bom, pelo menos assim terei tempo para me preparar psicologicamente para o temido tratamento de CANAL! Pela fama dessa palavra deve ser terrível mesmo!

Passamos na farmácia e fico sabendo que o medicamento é intramuscular, ou seja, injeçãozinha no bumbum. Para quem não está conseguindo falar por causa da dor, uma picadinha no bumbum não é nada... Meu marido, que morre de medo de agulha, foi quem ficou todo nervoso com minha picadinha. Tive que acalmá-lo "não dói, querido". Ele dirigiu como um louco até em casa, eu tentava falar pra ele "pra que a pressa, a dor vai continuar em casa!" mas eu estava sentindo muita dor para falar.... Tomei os remédios que a dentista plantonista me passou e senti a dor diminuindo aos poucos.

Mas nessa história tem mais um porém, um dos grandes: estou amamentando um bebê de 3 meses! Pode isso, Arnaldo? Medicação e amamentação? Conversei com a dentista sobre o fato de eu estar amamentando. E pelo o que eu entendi, e pelo o que eu li na bula, das 3 medicações prescritas apenas a primeira, a injeção, faria mal para meu bebê. Mas apesar das outras duas serem Amoxicilina e Diclofenaco sódico, remédios prescritos até para gestantes, eu deveria prestar atenção a qualquer reação no meu bebê.  Também segundo a dentista, devo amamentar o Nicholas antes do horário de tomar os remédios, assim ele se alimentaria quando o nível dos medicamentos estiverem mais baixos no meu organismo e, consequentemente, no leite. 

Então que depois que voltei da farmácia optei por não amamentar o Nicholas a noite. Preparei uma mamadeira com fórmula para ele. Só fui amamentá-lo novamente no dia seguinte. Mas ainda estou meio cabreira com o fato de eu estar tomando remédio e amamentando ele. Hoje  vi umas manchinhas vermelhinhas no corpo dele. Mas são tão fracas e tão espalhadas que não tenho certeza se é uma reação alérgica ou são marcas da minha própria mão por ter carregado ele até o trocador.

Vou tentar intercalar as mamadas no peito e na mamadeira por via das dúvidas. Só não vou suspender totalmente a amamentação por temer diminuir drasticamente minha produção já que serão 7 dias de remédio.

Ah! E logo mais um tratamento de CANAL!!!!!!! Que medo!

Nenhum comentário: