22 de abril de 2011

Ansiedade de irmão

Desde que engravidei passei a me preocupar com o Miguel e a novidade de um novo irmão. Apesar dele ainda ter 4 anos, fiquei me culpando por ter esperando tanto para engravidar de novo. Por mim, teria outro
quando ele ainda tinha 2 anos, mas como temos que escolher entre várias áreas da vida, acabei por esperar.

Achei que o Miguel passaria a me dar trabalho, a sentir-se ameaçado pela chegada do irmão, achei que ele ficaria manhoso, que regridiria. Mas ao contrário disso, ele tem se mostrado muito ansioso em relação a ser um irmão mais velho.

Desde que contei para ele sobre a minha gravidez tenho trazido a idéia de "irmão mais velho", do quanto ele poderá ensinar para o irmaozinho. "O seu irmão não vai saber andar, a gente vai precisar ensinar ele", "Você vai poder ensinar o bebê a pular alto como você pula".

Um certo dia eu estava me despedindo do Miguel, deixando ele com minha mãe. Ele me pergunta "Aonde você vai, mãe?" Eu respondo "para o médico". Ele então me diz "não esquece de pedir para o médico tirar o bebê da sua barriga!".

É muito interessande acompanhar as hipóteses das crianças sobre a concepção e o fato de alguém carregar um bebê na barriga. Para o Miguel eu engoli um bebê quando ele era beeem pequinininho. Outro dia ele veio me perguntar se eu também tinha engolido roupinhas para o bebê. Eu dei risada e disse que não, que o bebê está pelado na minha barriga. Eu estava vendo a hora que ele me traria uma roupa para eu comer.

Numa outra situação o Miguel me disse que eu ia precisar engolir uma escada pois o bebê ia precisar de algo para subir até minha boca e nascer. Várias vezes ele me disse que o irmão sairia pela boca. Expliquei que não seria possível pelo tamanho, mas ele continuou insistindo.

Em uma de nossas conversas a respeito da gravidez ele apontou para meu umbigo e disse que era a janela para o bebê olhar para fora. Eu perguntei "ele tá conseguindo nos ver?" Ele respondeu que a janela estava fechada.

Agora no fim da gravidez ele se mostrou mais ansioso. Levei ele num dos ultrassons e o chamei para entrar comigo, ele me disse que não queria ir, que estava com medo. Lembrei que contei que para o bebê sair da barriga os médicos cortavam as barrigas das mães. A resposta dele na hora que disse isso foi "mas dói!". Expliquei que tomavamos um remédio para não sentir dor. Tenho certeza que ele pensou no dia do ultrassom que o médico me abriria na frente dele. Para ele entrar contei que só veríamos o irmão pela tela da tv. Ele aceitou, porém... no fim do exame íamos saindo da sala e ele protestou "E o bebê?! Eu quero ver o bebê!!!"

Ele teve a mesma reação, um pouco mais alterada numa consulta que ele tambem me acompanhou "Eu quero meu irmão" falou começando a chorar "Eu quero meu irmão agora!!". O último comentário que ele fez sobre o irmão que está há 15 dias de chegar foi que ele dividiria a mesinha dele para os dois tomarem café da manhã juntos.

Eu fico muito feliz com a forma que ele está vendo a situação. Espero que após o nascimento ele continue a encarar a chegada do novo irmão de forma positiva, tendo orgulho de ser o irmão mais velho. Logo saberemos.

Nenhum comentário: